Desemprego cai em 16 estados em 2019, mas 20 têm informalidade recorde
Brasil

Desemprego cai em 16 estados em 2019, mas 20 têm informalidade recorde

Desemprego cai em 16 estados em 2019, mas 20 têm informalidade recorde

Do acréscimo de 1,819 milhão de ocupados em 2019, um milhão estavam na informalidade – Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

A taxa média de desocupação em 2019 teve queda em 16 estados do país, acompanhando a média nacional, que caiu de 12,3% em 2018 para 11,9% no ano passado. As maiores taxas ficaram no Amapá (17,4%) e na Bahia (17,2%), enquanto as menores foram registradas em Santa Catarina (6,1%) e nos estados de Rondônia, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, com 8% na média anual.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada hoje (14) pelo IBGE. A população ocupada também aumentou no Brasil (2%) e em 23 estados, totalizando 93,4 milhões de trabalhadores em 2019.

Apesar da queda no desemprego, em 2019, a taxa de informalidade – soma dos trabalhadores sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, empregador sem CNPJ, conta própria sem CNPJ e trabalhador familiar auxiliar – atingiu seu maior nível desde 2016 no Brasil (41,1%) e também em 20 estados.

A taxa média nacional de informalidade foi superada em 18 estados, variando de 41,2%, em Goiás, até 62,4% no Pará. Em 11 desses 18 estados, a taxa de informalidade ultrapassou 50% e apenas Distrito Federal (29,6%) e Santa Catarina (27,3%) tiveram taxas de informalidade abaixo de 30%.

A analista da pesquisa, Adriana Beringuy, explica que há uma relação entre o aumento da população empregada no país e o aumento da informalidade.

“Mesmo com a queda no desemprego, em vários estados a gente observa que a taxa de informalidade é superior ao crescimento da população ocupada. No Brasil, do acréscimo de 1,819 milhão de pessoas ocupadas, um milhão é de pessoas na condição de trabalhador informal”, explica Adriana. “Em praticamente todo o país, quem tem sustentado o crescimento da ocupação é a informalidade”, observa.

Contribuintes para previdência são 62,9% da população ocupada

A pesquisa mostra também que, desde 2016, o país vem apresentando queda na proporção da população ocupada que contribui para instituto de previdência. A maior proporção encontra-se na região Sul (75%) e a menor, no Norte (44%). Entre os estados, a contribuição chega a 81,2% em Santa Catarina, sendo que no Pará esse percentual é de 38,4%.

“A gente percebe que o crescimento da população contribuinte não está acompanhando o crescimento da população ocupada como um todo. Enquanto a população ocupada aumentou 2%, o contingente de contribuintes para a previdência só cresceu 1,7%”, aponta Adriana. “Como já vimos, o crescimento da população ocupada está calcado na informalidade. E, com o trabalho informal, diminui a contribuição previdenciária”, complementa.

Brasil

Mais notícias da Categoria Brasil

Jornada Black Friday – Lives dos Correios trazem dicas sobre a principal data do comércio eletrônico

Jornada Black Friday – Lives dos Correios trazem dicas sobre a principal data do comércio eletrônico

Portal Araxá 29/10/2020
ENEM 2020 – Correios participa de encontro técnico para alinhar ações de segurança e logística

ENEM 2020 – Correios participa de encontro técnico para alinhar ações de segurança e logística

Portal Araxá 21/10/2020
Correios apresenta nova opção na modalidade Clique e Retire

Correios apresenta nova opção na modalidade Clique e Retire

Portal Araxá 07/10/2020
Correios Digital – App tem novidades para encomendas internacionais

Correios Digital – App tem novidades para encomendas internacionais

Portal Araxá 06/10/2020
Correios realiza entrega da campanha “Leia Para Uma Criança – 2020”

Correios realiza entrega da campanha “Leia Para Uma Criança – 2020”

Portal Araxá 05/10/2020
Características que explicam o bom volume de vendas do Jeep Renegade

Características que explicam o bom volume de vendas do Jeep Renegade

Portal Araxá 25/09/2020