Portal Araxá- Anuncie aqui – Super banner
Indígenas e quilombolas terão 2,5 mil vagas do Bolsa Permanência
Educação

Indígenas e quilombolas terão 2,5 mil vagas do Bolsa Permanência

Indígenas e quilombolas terão 2,5 mil vagas do Bolsa Permanência

Inscrições podem ser feitas pela internet, pois começaram hoje (18) e vão até dia 31 de agosto de 2018.

O Ministério da Educação (MEC) vai abrir 2,5 mil novas vagas do Programa Bolsa Permanência (PBP) para indígenas e quilombolas, conforme portaria publicada nesta sexta-feira (15) no Diário Oficial da União. As inscrições teve início hoje (18) e seguem até 31 de agosto. Elas devem ser feitas pelo site do Sistema de Gestão do programa. A análise dos documentos e aprovação dos cadastros têm início junto às inscrições e vão até 28 de setembro.

O ministro da Educação, Rossieli Soares, destacou que a medida é um passo importante do Ministério da Educação e do governo federal: “Conseguimos resolver mais uma situação significativa para esta população que tanto precisa continuar estudando e vamos continuar trazendo oportunidades a ela”.

Indígenas e quilombolas terão 2,5 mil vagas do Bolsa Permanência

Estudantes que recebem o Bolsa Permanência têm mais chances de concluir o ensino superior em uma universidade pública, mesmo sem condições financeiras

Saiba mais sobre o programa clicando em cada pergunta abaixo:

O que é o Bolsa Permanência?

O Programa Bolsa Permanência (PBP) concede auxílio financeiro para estudantes de graduação de universidades federais que estejam em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Essa ajuda contempla, sobretudo, indígenas e quilombolas. Dessa forma, os alunos usam um cartão de benefício para receber, todos os meses, o valor de R$ 900 para concluir o curso de graduação.

Por que o Bolsa Permanência é importante?
É por meio do Bolsa Permanência que muitos indígenas, quilombolas e demais estudantes em situação de pobreza conseguem fazer uma faculdade pública. Entre 2013 e 2017, mais de 91,5 mil estudantes receberam o benefício. Desse total, 22,1 mil eram indígenas e 7,8 mil, quilombolas.
Quais os benefícios do Bolsa Permanência?
Individualmente, o estudante que não teria condições financeiras para se manter no curso, recebe o Bolsa Permanência e tem maior chance de concluir o ensino superior em uma universidade pública. A sociedade também ganha, com um acesso mais democrático à educação de qualidade e, consequentemente, menos desigualdade social. Por fim, os benefícios se estendem aos cofres públicos: o Bolsa Permanência inibe a evasão estudantil e reduz, dessa forma, o custo de manutenção de vagas ociosas.
Qual o investimento no Bolsa Permanência?
Entre 2013 e 2017, o programa recebeu investimentos da ordem de R$ 438 milhões. Desse total, R$ 152 milhões foram destinados à manutenção de bolsas para indígenas. Para estudantes quilombolas, foram R$ 62 milhões. Em 2018, o total investido para esses dois grupos deve, novamente, ultrapassar a marca dos R$ 150 milhões, por meio dos quais já estão sendo atendidos 10 mil estudantes.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Educação

BANNER VESTIBULAR PREMIADO AGENDADO UNIARAXÁ
Educação

Mais notícias da Categoria Educação

“Pimentas Nucleares” estão sendo cultivadas no UNIARAXÁ

“Pimentas Nucleares” estão sendo cultivadas no UNIARAXÁ

Portal Araxá 21/02/2019
Com recursos do Estado garantidos, prefeituras do Triângulo retomam início das aulas ainda em fevereiro

Com recursos do Estado garantidos, prefeituras do Triângulo retomam início das aulas ainda em fevereiro

Portal Araxá 15/02/2019
Equipe retorna do Projeto Rondon com grandes resultados

Equipe retorna do Projeto Rondon com grandes resultados

Portal Araxá 13/02/2019
Utramig lança editais para contratação de bolsistas do Pronatec

Utramig lança editais para contratação de bolsistas do Pronatec

Portal Araxá 08/02/2019
Candidatos na lista de espera do Sisu começam a ser convocados

Candidatos na lista de espera do Sisu começam a ser convocados

Portal Araxá 08/02/2019
Começam as Aulas no UNIARAXÁ

Começam as Aulas no UNIARAXÁ

Portal Araxá 07/02/2019