DPOC: doença pulmonar é extremamente frequente, mas muito pouco conhecida

Saúde em Pauta

DPOC: doença pulmonar é extremamente frequente, mas muito pouco conhecida
DPOC: doença pulmonar é extremamente frequente, mas muito pouco conhecida

Deseja saber dicas de saúde para cuidar bem de você e de sua família, a fim de conquistar maior bem-estar e qualidade de vida? Aqui, você tem acesso a dicas de saúde relacionadas a alimentação, atividade física, saúde e bem-estar e também diversas curiosidades. Além de conhecer os principais profissionais de Araxá e região.

DPOC: doença pulmonar é extremamente frequente, mas muito pouco conhecida

Pneumologista da Unimed Araxá explica as causas, tratamento e dá dicas de prevenção

DPOC é uma sigla que significa Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, que é popularmente conhecida como enfisema pulmonar ou bronquite crônica. Ela é a doença pulmonar crônica mais prevalente entre adultos e é a terceira causa de morte de adultos no mundo. “A DPOC representa um grande desafio para a saúde pública tanto em sua prevenção, quanto em seu tratamento. A doença se caracteriza pela obstrução persistente do fluxo aéreo”, explica a pneumologista da Unimed Araxá, Ana Cláudia Martins.

Dra.: Ana Cláudia Martins – Pneumologista da Unimed Araxá,

A doença, ainda segundo a médica, é mais comum em pessoas acima dos 50 anos e é causada por inalação de fumaças e poluentes, especialmente associada ao tabagismo ativo e passivo, inalação de fumaça de fogão de lenha, inalação de fumaça em incêndios, além de causas genéticas e infecções. Os sintomas mais comuns são tosse persistente, pigarro e falta de ar. “A gravidade dos sintomas varia com a severidade da doença. Em seu início nem sempre produz sintomas ou produz poucos sintomas. Por ser uma doença lenta e que acomete pessoas mais velhas e muitas delas fumantes, os sintomas inicialmente podem ser interpretados como sendo causados pela idade, sedentarismo e mesmo pelo próprio tabagismo”, alerta.

Diagnóstico

O diagnóstico precoce e tratamento adequado são essenciais para que se possa impedir a progressão dessa doença que, em fases avançadas, gera grandes limitações devido à falta de ar, limitando muitas vezes movimentos simples e diários como um banho ou até mesmo o caminhar dentro de casa. “Por isso recomenda-se uma avaliação de pacientes acima dos 50 anos e que tenham histórico de exposição de fumaças. O diagnóstico é realizado através de um exame denominado espirometria”, explica Dra. Ana Cláudia.

Tratamento

A DPOC é uma doença crônica e de caráter irreversível, ou seja, não tem cura, mas tem controle. Quanto mais precoce o diagnóstico e o tratamento, menos impacto na qualidade de vida do paciente. “O tratamento envolve além de medicações específicas, a cessação do tabagismo, vacinas pneumocócicas e influenza, além da vacina do COVID e discute-se atualmente também a vacina contra coqueluche.  Parte importante do tratamento do DPOC é a reabilitação cardiopulmonar, que é um programa que inclui treinamento físico, educação e alteração de comportamento, com a finalidade de melhorar as condições físicas do paciente. Em casos muito avançados, o paciente pode necessitar também de oxigenioterapia suplementar, o que reduz as exacerbações (crises de falta de ar) e melhora a qualidade de vida”, ressalta.

Prevenção

A prevenção dessa doença passa por evitar a exposição a fumaças e, especialmente, evitar o tabagismo. Caso já fume, a interrupção do tabagismo sempre trará benefícios, como impedir ou estabilizar o DPOC, que tem um caráter progressivo. “Com ênfase na prevenção das doenças respiratórias, no dia 31 de maio, foi comemorado o Dia Mundial Sem Tabaco. Na ocasião, a Sociedade Brasileira de Pneumologia e a OMS realizaram ações sobre o impacto ambiental dos produtos do cigarro, assim como mantêm a campanha contra a comercialização dos dispositivos eletrônicos para fumar”, finaliza Dra. Ana Cláudia.

A Unimed Araxá

Referência no segmento, a Unimed Araxá tem atualmente 200 médicos cooperados nas mais diversas especialidades e conta com mais de 40 mil beneficiários e 650 empresas contratantes nas cidades de Araxá, Ibiá, Campos Altos, Perdizes, Pedrinópolis, Tapira e Pratinha.

A cooperativa iniciou suas atividades em 11 de maio de 1989 para atender ao anseio da classe médica em proporcionar um atendimento digno e ético aos clientes e ampliar o campo de trabalho dos cooperados. Desde 2017 tem seu hospital próprio, que conta com o que há de mais moderno e eficiente na área e que também integra um Centro de Diagnóstico por Imagens e um moderno laboratório de análises clínicas. Mais recentemente inaugurou nas mesmas dependências um moderno Centro de Oncologia. O setor oferece estrutura de quimioterapia para tumores sólidos e tumores do sangue.

Em sua Clínica Multidisciplinar oferece atendimento exclusivo de profissionais como psicólogos, nutricionistas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos. Junto ao prédio central, oferece ainda equipe integrada e programas de saúde voltados à melhoria de qualidade de vida, promoção da saúde e prevenção de doenças no Espaço Viver Bem.

A rede credenciada de serviços é composta ainda por seis hospitais, 15 laboratórios, 33 clínicas, além de aproximadamente 300 colaboradores de forma direta.

Saúde em Pauta

Deseja saber dicas de saúde para cuidar bem de você e de sua família, a fim de conquistar maior bem-estar e qualidade de vida? Aqui, você tem acesso a dicas de saúde relacionadas a alimentação, atividade física, saúde e bem-estar e também diversas curiosidades. Além de conhecer os principais profissionais de Araxá e região.

Mais postagens da coluna - Saúde em Pauta

Varíola dos Macacos: especialista explica importância da vacinação

Varíola dos Macacos: especialista explica importância da vacinação

12/08/2022
Picadas de insetos: reações são raras, mas podem ser graves

Picadas de insetos: reações são raras, mas podem ser graves

22/06/2022
Dicas para reduzir o impacto do frio na saúde dos idosos

Dicas para reduzir o impacto do frio na saúde dos idosos

09/06/2022
Obesidade infantil:  por que as crianças estão engordando tanto?

Obesidade infantil: por que as crianças estão engordando tanto?

03/06/2022
Doença de Parkinson: idade é fator de risco, mas jovens também podem desenvolver

Doença de Parkinson: idade é fator de risco, mas jovens também podem desenvolver

24/05/2022
Dor de cabeça pode ser sinal de alerta para doenças graves

Dor de cabeça pode ser sinal de alerta para doenças graves

17/05/2022
Unimed Araxá completa 33 anos com mais de 40 mil beneficiários e 200 médicos cooperados

Unimed Araxá completa 33 anos com mais de 40 mil beneficiários e 200 médicos cooperados

11/05/2022
Fase de crescimento: quando crianças e adolescentes devem procurar um ortopedista?

Fase de crescimento: quando crianças e adolescentes devem procurar um ortopedista?

29/04/2022
Conheça o Programa de Atenção à Saúde da Gestante da Unimed Araxá

Conheça o Programa de Atenção à Saúde da Gestante da Unimed Araxá

18/04/2022
Aumento de casos de sífilis preocupa profissionais da saúde

Aumento de casos de sífilis preocupa profissionais da saúde

11/04/2022
Autismo: sinais podem ser percebidos nos primeiros meses de vida

Autismo: sinais podem ser percebidos nos primeiros meses de vida

04/04/2022
Tenho reumatismo. Posso fazer exercícios físicos?

Tenho reumatismo. Posso fazer exercícios físicos?

18/02/2022